Cases

Risco Operacional
Meio Ambiente
Meio Ambiente
Integridade e Ativos e Prevenção de Perdas
Integridade e Ativos e Prevenção de Perdas
Inovação e Processos
Inovação e Processos
Crise e Sustentabilidade
Crise e Sustentabilidade
GIS e Imagens de Satélite
GIS e Imagens de Satélite



Newsletter

Para receber nosso informativo bimestral, preencha os dados.

Consultoria
Oportunidades
Software
Treinamento




.

Redução de custos de seguros em gasodutos

Especializada em desenvolver soluções à medida das necessidades de seus clientes, com base na visão de processos e na estratégia de negócios destes, a hazards oferece, além de sua expertise de consultoria na área industrial e de serviços, o conhecimento de diversos ramos de atividades. Assim, sua atuação nos setores de transporte, petróleo e gás, alimentos, cosméticos, farmacêutico, processos químicos e siderúrgicos, alimentação e saúde animal, telecomunicações e indústrias de base fez da hazards uma opção ideal de parceria para os clientes que já utilizaram seus serviços e uma referência para novas parcerias em diferentes nichos de mercado.

A parceria segurador-segurado

A crescente concentração de riscos provocados pelo desenvolvimento tecnológico tem aumentado a incidência de eventos catastróficos e de perdas associadas. Estas perdas, que podem ser de ordem material, de interrupção de negócios, humanas ou ambientais, têm provocado grandes danos à imagem das empresas, além de perdas onerosas para companhias de seguro e resseguro.

Na teoria de riscos de engenharia, objetiva-se, ao longo do tempo, a obtenção de um valor ótimo para as partes seguradora e segurada. A introdução do gerenciamento de riscos consciente por parte do segurado não somente melhora a segurança do seu sistema, mas também reduz tanto a probabilidade de ocorrência de cenários acidentais quanto a gravidade dos sinistros associados a esses cenários.

Assim, se a implementação de um programa de gerenciamento de riscos significa, por um lado, um investimento na prevenção e/ou na redução da vulnerabilidade de cenários decorrentes de eventos de um sistema, permite, por outro lado, que determinados sinistros que possam ocorrer no empreendimento tenham a probabilidade de ocorrência e o grau de vulnerabilidade reduzidos à redução da probabilidade de ocorrência de cenários, atuando seja na prevenção dos perigos quanto na redução do grau de conseqüências. A forma mais simples de se fazer isso é por meio de listas de verificação ou de inspeção, técnica normalmente empregada pelas companhias de seguro. No entanto, a quantificação de riscos torna-se necessária para grandes riscos e usualmente é solicitada por algumas resseguradoras. Aqui, o presente estudo de caso permite esclarecer um pouco sobre esse ponto, demonstrando que em muitos casos é simples de se realizar este tipo de cálculo e apresentar esses dados para a empresa seguradora, a qual intermediará o dialogo, quando necessário, com a resseguradora, para a revisão dos valores associados ao seguro.

O caso GASMIG – Companhia de Gás de Minas Gerais

Na época do estudo de Prevenção e Controle de Perdas realizado no o final de 2004, a Gompanhia de Gás de Minas Gerais – GASMIG possuía em torno de 250 km de rede de gás natural. Diversos estudos de análise de riscos (EAR) elaborados para o licenciamento ambiental dos gasodutos que compõem essa rede, e os Programas de Gerenciamento de Riscos (PGR) para a Região Metropolitana de Belo Horizonte e Juiz de Fora foram desenvolvidos pela hazards para a GASMIG.

Em função desses estudos e sistemas implementados, foi feita uma outra proposta de gerenciamento de riscos da rede de gás natural. Assim, foi elaborado um relatório de Prevenção e Controle de Perdas, o qual quantificou a redução da freqüência de ocorrência do risco pela aplicação das medidas de gerenciamento introduzidas, que por sua vez levaram a uma redução da freqüência de ocorrência dos cenários (prevenção) e da vulnerabilidade em 47% (plano de ação de emergência).

O cálculo de redução do risco de responsabilidade civil utilizou redutores de risco de redução de taxas de falhas na rede, e um fator de redução de vulnerabilidade para cada pressão e diâmetro de gasoduto, o que permitiu, com base na ocupação do solo (distribuição populacional), finalmente calcular o fator de indenização provável por ano e por km de rede. Com esses valores, foi calculada a redução de risco pelo impacto da implementação do Programa de Gerenciamento de Riscos, do Programa de Comunicação de Riscos e do Plano de Ação de Emergência para toda a rede.

Este estudo foi levado pela seguradora até o IRB, o que resultou na redução do prêmio do seguro de responsabilidade civil, proporcionando uma reavaliação do prêmio do seguro e a redução de aproximadamente 40 % de seu valor para a GASMIG. Este resultado é um exemplo de parceria no qual o gerenciamento dos riscos significou um investimento na segurança do sistema do segurado. Por outro lado, também do ponto de vista da seguradora, significou uma redução da probabilidade de perdas associadas, chegando-se assim a um denominador comum negociado entre as partes, com uma clara relação “ganha-ganha”, proposta pela hazards, já que, devido à previsão de expansão da rede de gás natural da Gasmig, em vez de reduzir o prêmio pela metade foi praticamente duplicado o limite indenizatório.

Este foi um típico exemplo de trabalho no qual a expertise utilizada permitiu um retorno imediato ao cliente e, mais do que retorno, lucro, pois o valor cobrado para este tipo de serviço de prevenção de perdas é muito inferior ao valor ganho na redução dos custos de seguro.

Qualquer sistema é passível de uma avaliação deste tipo, que pode beneficiar de diversas formas as várias partes envolvidas num processo de seguro. Assim, a avaliação permite:

  • Para o segurado: verificar se o prêmio do seguro e o limite indenizatório estão de acordo com seus cenários acidentais e o gerenciamento de riscos existente na empresa.
  • Para a seguradora: saber se está vendendo um seguro para o segurado ou se está sendo contratada para pagar um sinistro no próximo ano, o que lhe permitirá ter subsídios para obrigar o segurado a tomar medidas de gerenciamento para a redução do risco até valores financeiramente convenientes.
  • Para a resseguradora: saber que a avaliação de prevenção de perdas foi feita com base metodológica e não com base em tabelas nem sempre aplicáveis quando os perigos e os riscos não são devidamente entendidos e gerenciados.

A hazards elabora e organiza todo o ciclo de serviços necessário para este tipo de avaliação: avaliação de perigo, estimativa de conseqüências e cálculo de riscos, também acompanhando a implementação de Programas de Gerenciamento de Riscos e Plano de Prevenção de Perdas. Em caso de dúvida ou interesse pelo assunto, solicite maiores informações cadastrando-se em nossa newsletter. Sua solicitação será encaminhada a um técnico especializado.



RSS E-mail Print Comentar

Consultoria

Segurança Funcional
Riscos Operacionais
Renováveis e Geração
Estudos Ambientais
Crise & Sustentabilidade
INFO-Folders

Treinamentos

Soluções em Treinamento
Cronograma Cursos
Segurança Funcional
Segurança de Processos
Explosão e Incêndio
Software para PHAs e AQR

Software

Apresentação
BowTieXP e IncidentXP
Soluções PHA e FMEA
EFFECTS - TNO
GIS Risk Graph
AERMOD
Risco Individual-RI

Cases

Risco Operacional
Meio Ambiente
Integridade e Ativos e Prevenção de Perdas
Inovação e Processos
Crise e Sustentabilidade
GIS e Imagens de Satélite